Quem somos    |    Nossa solução    |    Blog

Professor dando aula de inglês na escola para duas alunas

É preciso mostrar que a instituição prioriza o ensino da língua e oferece recursos adequados, ambiente seguro para a prática do idioma e professores em constante formação

Algumas famílias consideram as aulas de inglês na escola como mais básicas ou até mesmo menos eficientes se comparadas aos cursos livres de idiomas. Mas essa ideia nem sempre corresponde à realidade. Muitas instituições valorizam e priorizam o ensino da língua inglesa no ambiente escolar, possibilitando ao aluno se tornar bilíngue e alcançar proficiência e bons resultados em exames internacionais. 

As escolas que investem no ensino do idioma também buscam estar alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que estabelece as aprendizagens essenciais durante a educação básica.  

Segundo a BNCC, “aprender a língua inglesa propicia a criação de novas formas de engajamento e participação dos alunos em um mundo social cada vez mais globalizado e plural, (…) contribuindo para a visão crítica dos estudantes e para o exercício da cidadania ativa, além de ampliar as possibilidades de interação e mobilidade, abrindo novos percursos de construção de conhecimentos e de continuidade nos estudos”.    

Mas como mostrar para as famílias que a escola realmente trata o inglês como uma prioridade? A partir da premissa de que o gestor já garante a qualidade do material didático, do corpo docente e do planejamento do ensino, ele deve reforçar pontos fortes e resultados tangíveis de cada um deles.   

1. Destacar o conteúdo relevante do material didático 

Para que a família avalie positivamente e entenda o investimento realizado no material utilizado na escola, ele deve ter alinhamento não só à BNCC, mas também a documentos norteadores internacionais, como Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR, na sigla em inglês); 

Além disso, é interessante que conte com a expertise de uma instituição reconhecida e tradicional, o que irá trazer uma percepção ainda mais positiva para a escola.  

Sobretudo, os adultos responsáveis irão valorizar recursos que proporcionem a prática da língua em situações reais de comunicação, como diálogos, debates e jogos, para que os estudantes ganhem gradativamente fluência e confiança. 

2. Comunicar programas de valorização do corpo docente  

Os educadores são peça-chave na aprendizagem dos estudantes e devem estar preparados para conduzir as aulas de acordo com o perfil de cada turma e acompanhar e impulsionar o desempenho dos alunos e as famílias também acreditam nisso.  

Por isso, é importante que além de oferecer a formação continuada, com acompanhamento periódico, a escola comunique a comunidade dos investimentos feitos para profissionalização de professores. 

3. Divulgar oportunidades de intercâmbio e aplicação de exames de proficiência 

Outras iniciativas importantes também funcionam como indicadores da qualidade do inglês oferecido na escola, como programas de intercâmbio e exames de proficiência, como PET, FCE, CAE e TOEFL. 

Ao ofertar viagens imersivas em inglês para crianças e adolescentes, a escola evidencia a preocupação de integrar o ensino em sala de aula com a vivênvia da vida real. Já ao aplicar testes reconhecidos internacionalmente, ela consegue mostrar resultados tangíveis por meio de parâmetros internacionais. 

Você viu como é possível uma escola oferecer ensino de inglês de qualidade? Com a Skies Learning, solução educacional que traz a expertise da Red Balloon no ensino de inglês, escolas não precisam ser bilíngues para formar alunos bilíngues.